Migração de ERP: como implantar um sistema específico para transporte

Investir em um software de gestão integrada que auxilie nos processos internos traz inúmeros benefícios para toda a operação da empresa de transportes de passageiros.

Porém, é importante entender que a migração para um sistema ERP não é uma tarefa simples para a empresa de transportes, principalmente aquelas que atuam com o transporte de encomendas pelo bagageiro de ônibus.

Afinal, o ERP (sigla para Enterprise Resource Planning – ou em português Planejamento de Recursos Empresariais) envolve todos os departamentos da empresa, o que demanda etapas complexas que podem influenciar nos resultados do negócio.

Embora seja um processo complicado, não deve ser adiado por medo de errar ou pelo custo da operação. Pois, evitar a troca acaba atrasando todo o processo dentro da empresa, deixando um software obsoleto e inadequado interferir no resultado da sua empresa.

Quando migrar?

Para evitar prejuízos e danos no processo de migração de ERP para a empresa, é fundamental que o gestor interprete bem a hora migrar para um software de gestão integrada.

O primeiro item a ser considerado na hora de substituir a ferramenta é o custo do investimento para a empresa. Muitas vezes o valor pode assustar a princípio, mas quando avalia os benefícios garantidos pelo software o investimento logo se paga.

Em outros casos, dependendo do software utilizado pela empresa, as opções no mercado têm mais funcionalidades que o ERP que utiliza atualmente, porém com um custo bem mais competitivo. Fazer a migração pode, então, ajudar a equilibrar as contas.

Para que o investimento valha a pena, é importante escolher por um software de gestão integrada especialista no setor, que é feito sob medida para a empresa de transporte de passageiros, sendo adequado aos problemas que permeiam o seu negócio.

Também é preciso avaliar o custo da migração, para saber se pode investir nessa mudança sem desestruturar a empresa financeiramente. Esse é um fator importante para saber se está na hora de fazer a mudança de software.

Vale lembrar que na hora de avaliar os custos de contratação de um novo software de gestão integrada, é necessário também colocar na ponta do lápis os gastos que serão despendidos com o processo de migração.

Como é feita a migração de um sistema ERP?

Neste caso, não existe uma regra, pois pode variar de acordo com o fornecedor contratado, e até mesmo diante das necessidades da sua empresa de transportes. Porém, existe uma estrutura básica que garante o sucesso da migração de ERP.

O primeiro passo é fazer o mapeamento de processos, ou seja, elaborar uma estrutura de processos que determine qual é o valor gerado no negócio. Para quem já está com os processos bem estruturados, a implantação do sistema será muito mais simples e rápida.

Em seguida, é preciso pensar no dimensionamento da solução, ou seja, determinar as necessidades da empresa e definir as funcionalidades que devem estar no ERP.

Com todos os passos executados, é hora de treinar a equipe para a mudança de software de gestão. Isso porque qualquer erro pode afetar a produtividade da empresa e ensinar a equipe é uma forma de minimizar falhas.

Como evitar erros na migração para um novo ERP

Contratar um software de gestão integrada generalista tem como vantagem o custo mais baixo, porém, como é feito para abranger diferentes tipos de negócio, não costumam trazer funcionalidades adequadas aos problemas dentro de uma empresa de transportes.

Vale a pena investir um pouco mais para ter um software de gestão que entenda dos processos dentro da sua empresa de transporte rodoviário. Com isso, você vai poupar tempo, economizar nos processos e garantir relatórios mais completos e assertivos.

A Praxio, empresa de tecnologia que oferece soluções na área de Transporte há mais 30 anos, oferece o ERP Passageiros, o melhor e mais completo software para a gestão do transporte de Passageiros do mercado.

O diferencial da ERP Passageiros é que o software traz funções dedicadas a esse tipo de transporte, adaptada para diferentes tipos de operações seja urbana, rodoviário ou de fretamento.

Ou seja, além de funcionalidades que tornam processos como manutenção preventiva, e facilita a rotina em setores como o departamento de recursos humanos, financeiro e contábil, o ERP Passageiros ajuda em processos como:

  • Gestão de escala de veículos e motoristas;
  • Plantão (soltura e recolhe);
  • Gestão de arrecadação / estatísticas;
  • Gestão Integrada com a bilhetagem;
  • Terminal de consultas WEB;
  • Gestão RDA;
  • Plantão rodoviário (partidas e chegadas)
  • Retaguarda da venda – (integração com bilheteria)
  • Gestão do fretamento contínuo;
  • Encomendas;
  • Gestão do turismo (fretamento eventual);
  • Roteirizador para fretados.

Além disso, por ser em nuvem, oferece maior segurança de dados, bem como permite o acesso ao software de qualquer dispositivo conectado a internet.

As soluções oferecem navegação intuitiva, garantindo para encontrar informações pertinentes para executar o seu planejamento estratégico.

Share
Marketing

A Enviabybus surgiu com o objetivo de conectar a malha rodoviária brasileira e elevar o nível de transporte de encomendas através de bagageiros de ônibus. Este blog será para debatermos assuntos do mercado logístico e contar novidades de nossa trajetória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *